‘Antidotes’ Foals **

Postado em Atualizado em

foalspeq.jpgEles não são Strokes nem Klaxons nem nada, mas criou-se um hype tão exagerado em torno da estréia do Foals que a banda passou a carregar a responsabilidade monumental de salvar o rock inglês em 2008. E, infelizmente, levou a missão a sério. Daí que Antidotes, um típico álbum irregular de estréia, não foi defendido com entusiasmo nem pela New Musical Express, que engordou as expectativas de que o quinteto se transformaria na maior revelação do ano (eles ganharam uma capa antes do lançamento do disco).

Para a NME e congêneres, o Foals seria a resposta britânica para o math rock norte-americano, liderado hoje pelo Battles. O grupo chegou a gravar uma primeira versão do disco com o produtor Dave Sitek, do TV on the Radio, mas rejeitou o resultado e decidiu arrumar a casa por conta própria. A estratégia desengonçada talvez explique a falta de foco do disco, e acaba ressaltando o lado mais conservador da banda, que às vezes soa como derivação de Bloc Party. Mas há ótimos momentos (os mais despreocupados e juvenis) em que eles se libertam das cobranças e se divertem, como em Cassius e The french open. A exemplo de nove entre dez bandas britânicas, perigam ser atropelados pela aflição alheia antes de amadurecerem.

PS: Desde o início do blog, era uma intenção minha escrever sobre todos os discos e filmes que eu ouvia e via. Mas o tempo anda escasso e, além do mais, percebo que muitos dos discos e filmes interessam apenas a uma parcela mínima dos já poucos leitores deste blog. A partir de agora, vou deixar de escrever sobre alguns dos lançamentos listados no meu log. Se vocês quiserem comentários sobre algum caso específico, basta pedir que escrevo. Estamos conversados?

6 comentários em “‘Antidotes’ Foals **

    alves, le roi disse:
    março 21, 2008 às 5:19 pm

    tiagao, qual a sua opiniao sobre talking heads, big star, nick cave, gene clark, sonic youth, tangerine dream, thievery corporation e dave brubeck?

    Tiago respondido:
    março 21, 2008 às 5:42 pm

    Tudo ao mesmo tempo assim, Guilherme?

    Pô.

    Mas tá, adoro Talking Heads (todas as fases), Big Star e Sonic Youth (menos esse último disco, que acho só bom). Não conheço muito de Tangerine Dream. Thievery Corporation é meio caído, não? Vi o trecho de um show deles e não curti muito. Dave Brubeck conheço pouco… Estava ouvindo outro dia, aliás.

    Bruno Amato Reame disse:
    março 21, 2008 às 7:52 pm

    Virou crítico por encomenda? ;-)

    Tiago respondido:
    março 21, 2008 às 8:02 pm

    Mais ou menos isso, Bruno…

    Diego disse:
    março 23, 2008 às 4:25 am

    Thievery Corporation é pavoroso. World music pra socialite.

    Crítico delivery. Legal!

    Tiago respondido:
    março 23, 2008 às 11:32 am

    Vão sacaneando…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s