Meet Kevin Johnson *

Postado em

meetkevin.jpg 

Sempre acreditei que o maior problema de temporadas quebradas em longos intervalos nunca foi o tempo de espera por novos episódios (eu levo isso numa boa, sem crises de ansiedade). Pior que isso são os baques que a narrativa sofre com a necessidade de prender a atenção do público. A fluência vai para os ares quando os produtores precisam tirar da cartola ganchos chamativos e, em muitos casos, infantis. Um exemplo desse tipo de solução desengonçada é o desfecho deste Meet Kevin Johnson, que poderia muito bem estar numa paródia de Lost.

Em condições normais, este seria um típico capítulo de transição. Teria o simples propósito de explicar ao público o que Michael fez no período em que sumiu do radar dos roteiristas. Para uma série que nunca foi um primor de sutileza, é até previsível que tenham criado um episódio inteiro para ilustrar o que, em grande parte, estava nas entrelinhas. É um capítulo dedicado a quem caiu da cadeira com a revelação de que Michael era o espião de Ben – convenhamos, quase ninguém.

O que mais me incomoda em Meet Kevin Johnson nem é essa queda pelo didatismo. É que Michael nunca foi um personagem com estofo psicológico, e o longo flashback sobre o tempo que o paizão passou fora da ilha confirma essa inconsistência. O espectador só comprará a fase auto-destrutiva do sujeito se tiver muita boa vontade. É, no mínimo, over. Michael passa os quarenta minutos batendo numa mesma tecla – ele quer se matar, ele quer se matar, ele quer se matar – e, quando ganham algum espaço para avançar no desenho do personagem, os roteiristas tropeçam em uma piada de mau gosto. A bomba falsa com recadinho irônico, diga aí, não seria divertida nem nos momentos mais insanos de Missão: impossível.

Mas a gag sintetiza o episódio. Um explosivo que promete desertificar o mundo, mas vejam só: é de mentirinha, a-há.

7 comentários em “Meet Kevin Johnson *

    Bruno Amato Reame disse:
    março 22, 2008 às 9:34 pm

    Discordo. É verdade q Michael sempre foi um personagem duma nota só (antes era o WAAAAALLLLLT, agora é a Morte) e o ep sofre com isso, mas achei que tudo que não estava diretamente ligado a trama principal muito interessante – não faz muito tempo, vc estava elogiando Ji Yeon e The Other Woman em parte por isso. E por falar no ep da Juliet, achei a trama da arma química muito mais ridícula que a bomba falsa.

    Tiago respondido:
    março 22, 2008 às 9:48 pm

    Mas o que especificamente você achou interessante? Achei o episódio quase todo ancorado na trama principal. E não existe uma tentativa de pensar na melhor forma de contar essa história, na forma. É tudo meio que jogado, sem sutileza alguma. Revi uns trechos hoje pela manhã e, realmente, não gosto. Entenderei os comentários positivos, mas é um episódio que não me diz absolutamente nada.

    feliperezende disse:
    março 23, 2008 às 2:30 am

    Eu gostei. Na verdade eu não esperava muita coisa, por ser episódio do Michael e por ser um fall finale. Acabou que foi bom, só não gostei mesmo do final. E espero muito que aquela personagem não tenha morrido (pode colocar spoiler aqui ou a gente é banido? rsrs) porque queria um flashback.

    Tiago respondido:
    março 23, 2008 às 2:44 am

    Só eu que fiquei frustrado com isso? Hmm, deve ser pq tenho sérios problemas com finales (ou pseudo-finales, como é o caso) mornos. Não consigo aceitar.

    E aquele desfecho, deus. A coisa mais simplória do mundo.

    Diego disse:
    março 23, 2008 às 3:50 am

    Mas Tiago, isso é Lost. Se não explicassem direitinho o que tinha acontecido ao Michael, os fãs perderiam meses bolando teses e mais teses sobre o assunto. Alguns chegaram a acreditar, antes do episódio que o Michael do barco era um duplo surgido no momento em que ele deixou a ilha, por causa daquele desvio do espaço-tempo no local. Vai vendo.

    O mais interessante do episódio nem é a trama com o Michael, mas sim o que descobrimos sobre os destroços do avião, Widmore e o showzinho de ética particular de Ben. Mais uma vez, não dá pra saber em quem acreditar. E se os caras conseguem me deixar desnorteado assim pela ducentésima vez em quatro anos, well, não tenho como não dar o braço a torcer.

    Diego disse:
    março 23, 2008 às 3:51 am

    “Alguns chegaram a acreditar, antes do episódio, “

    Tiago respondido:
    março 23, 2008 às 11:32 am

    O showzinho de Ben não me pareceu convincente. E a história da queda do avião… Bem, é apenas mais uma em meio a tantas outras. Com a diferença de que, agora, um personagem disse ter “provas” sobre o assunto. Blé.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s