J.D. Salinger (1919-2010)

Postado em Atualizado em

‘No subsolo do hotel, por onde os banhistas eram obrigados a entrar, uma mulher com o nariz coberto de pomada tomou o elevador junto com o rapaz.

– Por quê que você está olhando para os meus pés? – ele lhe perguntou, quando o elevador se pôs em movimento.

– O quê que o senhor disse?

– Perguntei porque é que você está olhando para os meus pés? – ele lhe perguntou, quando o elevador se pôs em movimento.

– O senhor vai me desculpar, mas acontece que eu estava olhando para o chão – a mulher falou, e encarou a porta do elevador.

– Se quer olhar para a droga dos meus pés, diga logo. Mas não precisa ficar olhando escondido.

– Deixa eu saltar aqui mesmo, por favor – a mulher disse rapidamente para a ascensorista.

As portas se abriram e a mulher saiu, sem olhar para trás.

– Eu tenho dois pés normais, pomba, e não admito que ninguém fique olhando para eles – o rapaz falou – Quinto, por favor.

Tirou a chave do bolso do roupão. Desceu no quinto andar, caminhou ao longo do corredor e entrou no 507. O quarto cheirava a mala de couro nova e a removedor de esmalte de unhas.

Olhou de relance na direção da moça que dormia numa das camas-gêmeas. Caminhou até uma das malas, abriu-a e, sob uma pilha de roupas de baixo, apanhou uma Ortgies automática, calibre 7.65. Soltou o pente de balas, examinou-o e enfiou de novo no lugar. Armou a pistola. Feito isso, foi sentar-se na cama desocupada, olhou para a moça, apontou a pistola e deu um tiro em sua própria têmpora direita.’

Um dia ideal para os peixes-banana, em Nove estórias (1948)

Anúncios

7 comentários em “J.D. Salinger (1919-2010)

    Samuel disse:
    janeiro 29, 2010 às 6:00 am

    Era uma escrita muito melancólica, desiludida, mas extremamente cativante. Tomara que novos mistérios póstumos pintem por aí.

    Tiago Superoito respondido:
    janeiro 29, 2010 às 9:19 am

    Pois é, Samuel, fico um pouco dividido em relação a esses mistérios póstumos. Desde 1965, acho, o Salinger recusava-se a publicar qualquer coisa. Mas parece que ele escreveu muita coisa durante esse tempo de reclusão. Dá uma curiosidade imensa de descobrir tudo isso, mas, ao mesmo tempo, isso parece ir contra os desejos do sujeito (que escrevia apenas por prazer, hobby). Vamos ver o que acontece daqui pra frente.

    jv disse:
    janeiro 29, 2010 às 1:31 pm

    me pergunto se agora vão fazer filme de O Apanhador.

    Tiago Superoito respondido:
    janeiro 29, 2010 às 1:37 pm

    Podiam fazer o filme sobre a vida do Salinger. Paul Thomas Anderson na direção.

    brunoamato disse:
    janeiro 29, 2010 às 5:06 pm

    Acho que Wes Anderson faz mais sentido

    Tiago Superoito respondido:
    janeiro 29, 2010 às 5:08 pm

    Para dirigir Franny e Zooey e os contos da família Glass, Wes Anderson (se bem que ele já fez isso em Os excêntricos Tenenbaums).

    Para O apanhador, acho que seria legar Richard Linklater.

    A vida do Salinger, sem dúvidas Paul Thomas Anderson.

    brunoamato disse:
    janeiro 30, 2010 às 12:16 am

    Ok, agora vc me convenceu. Boas escolhas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s