Medo do (disco do) Eminem

3 a.m. | Eminem

Postado em Atualizado em

Juro que eu estava disposto a desdenhar este novo clipe do Eminem, ligeiramente superior ao frustrante We made you, mas senti que precisava escrever algo sobre o retorno do rapper (ou pelo menos sobre a forma como esse retorno se manifesta até aqui).

Por enquanto, fico com a impressão de que Relapse , o novo disco, será uma espécie de Wolverine da música pop: um blockbuster burocrático, reciclagem dos clichês de uma franquia bem sucedida. Acredito que por isso We made you e 3 A.M. resgatem de uma forma tão explícita e exibida os dois extremos da trajetória de Eminem: no primeiro caso, voltamos ao humorista sacana, que vive de desenhar charges de estrelas do pop (uma piada batida, aliás); no segundo, retorna o narrador de violentas histórias de horror, rated R (e taí o clipe).

Ainda que eu prefira o slasher-Eminem à filme B, reconheço que até essa faceta mais camp acabou virando uma cartada previsível. No tempo em que (espontaneamente!) confundia a própria biografia com a ficção mais enlouquecida (vide Marshall Mathers LP), era um dos rappers mais interessantes dos anos 90. Autoficção em estado bruto. Hoje em dia, Eminem parece encenar o próprio sucesso na indústria musical, a própria carreira. Um remake de si mesmo. Não sei se vale a pena (ou faz sentido) ouvir de novo.