cine | A Dama de Ferro

Postado em Atualizado em

No contrafluxo de um J. Edgar ou de um Não Estou Lá, serve de exemplo para o que há de mais antiquado no filão das cinebiografias. De tão didaticamente ruim, de tão míope, poderia ser usado até como material educativo para alertar alunos de jornalismo: o retrato da primeira-ministra inglesa Margaret Thatcher não só ameniza fatos que são de amplo conhecimento (a Guerra das Malvinas, por exemplo) como está sempre desviando a câmera para não encarar os aspectos mais complicados, e controversos, da personagem que decide perfilar. Thatcher, recriada por uma Meryl Streep emperequetada num cosplay im-pe-cá-vel, aparece na tela como uma senhora solitária, saudosista, às voltas com as dificuldades de se livar do fantasma (metafórico) do marido morto. Talvez por não ter encontrado muitos ganchos sentimentais na trajetória da poderosa, a diretora Phyllida Lloyd (de Mamma Mia, estão avisados) usa a personagem como motivo para um draminha manso, pra toda a família. Evite.

(The Iron Lady, Inglaterra, 2011) De Phyllida Lloyd. Com Meryl Streep, Jim Broadbent e Richard E. Grant. 105min. D

13 comentários em “cine | A Dama de Ferro

    Duque disse:
    fevereiro 17, 2012 às 2:45 pm

    Pior resenha da história do Super8? D:

    Tiago Superoito respondido:
    fevereiro 17, 2012 às 2:47 pm
    gabrielraugusto disse:
    fevereiro 17, 2012 às 4:27 pm

    Duque, talvez seja o pior filme que já passou pelo Superoito (eu não vou saber tão cedo, porque só vou assistir em DVD).

      Tiago Superoito respondido:
      fevereiro 17, 2012 às 4:31 pm

      Vamos dizer que é um textinho à altura do filme, Gabriel. Haha.

    Adalberto disse:
    fevereiro 17, 2012 às 7:31 pm

    Ei pessoal, não espere o dvd, antecipem logo o “auto-flagelo” da quarta-feira de cinzas.

    Filme legendado:

    http://uploaded.to/file/5q5tcqzc/The.Iron.Lady.2011.DVDRip.XviD.fl.GOLD.zip

    gabrielraugusto disse:
    fevereiro 17, 2012 às 10:22 pm

    Eu queria um botão Curtir pro seu comentário, Adalberto.

    Pedro Primo disse:
    fevereiro 18, 2012 às 3:30 am

    Esse é filme pros frequentadores de fim de semana falaram que a Meryl Streep é a melhor atriz viva e depois reclamarem que ela perdeu, veja lá, outro Oscar.

    Falando em Não Estou Lá, revi outro dia e deve ser o supra-sumo das cinebios. Todd Haynes (e os atores) tava ungido quando filmou aquilo.

    Henrique Miura disse:
    fevereiro 18, 2012 às 1:58 pm

    Poderia fazer um filme dos produtores decidindo quem seria ficaria com a direção desse filme (imagino o insight “vamos chamar a Phyllida Lloyd, ela fez o Mamma Mia! “super legal”), que ficaria muito mais interessante que essa meleca que fizeram.

    Tiago respondido:
    fevereiro 18, 2012 às 3:43 pm

    Filmes ruim cês comentam, né.

    Rafael disse:
    fevereiro 18, 2012 às 5:41 pm

    Eles querem que você sofra mais assistindo filmes ruins e fazendo resenhas deles Tiago..kkkkkk

    Henrique Miura disse:
    fevereiro 19, 2012 às 12:14 am

    Quero ver texto para o Motoqueiro Fantasma. Isso é um desafio, escrever sobre algo tão ruim.

    Léo disse:
    fevereiro 19, 2012 às 9:11 pm

    Ficou bem resenha feita às pressas para jornal!! Só venho aqui pra elogiar, tenho que vir para falar mal tbm… =P hehe

    Michel Simões disse:
    fevereiro 24, 2012 às 11:43 pm

    Pense num filme ruim, é pouco perto disso aí

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s