♪ | Let’s Go Eat the Factory | Guided by Voices

Postado em Atualizado em

O novo do Guided By Voices não é só mais um entre os 567.985 discos que a banda gravou. Talvez seja um dos mais estimulantes desde 1996, por dois motivos: em primeiro lugar, porque reúne a formação que gravou alguns dos melhores álbuns dos anos 90 (entre eles, Bee Thousand e Alien Lanes); e, em segundo, porque a banda encena a própria juventude, usando métodos antigos, que ela havia abandonado naturalmente. Por exemplo: as músicas foram registradas em várias “locações” (garagens, sótãos, gravadores antiquados) para que soassem diferentes umas das outras, e sem polimento, como se nascidas de uma espécie de jorro de criação. É como se, digamos, Todd Haynes decidisse filmar, em 2012, um filme rascante como Poison. Faria sentido? Ou não faria?

Numa entrevista para a Uncut, Tobin Sprout comentou que o disco novo é “muito diferente” daqueles antigos porque “somos pessoas diferentes”. Resumiu de forma exemplar por que este disco me parece tão revelador. Ele mostra, pra começar, que as microcanções toscas (e ocasionalmente lindas) de Rob Pollard soam mais alienígenas hoje do que soavam em 1995 — e não porque o compositor tenha mudado muito; o contexto é que se transformou. E que, em parte do tempo, ele tenta adaptar ao formato “old-school” uma sensibilidade pop que ele depurou em discos (menores, para o fã mais enfezado) como Isolation Drills: daí a existência de faixas “profissionais” como The Unsinkable Fats Domino e We Won’t Apologize for the Human Race, que parecem entrar em conflito com o desenho do disco. E Tobin Sprout… Bem, esse está envelhecendo graciosamente.

É um disco autoreferente, movido por um estranho desejo de refazer percursos que já foram traçados e que já não interessam a quase ninguém. No mais, as minhas preferidas (God Loves You à frente de todas) funcionam como audiocursos para o que mais me entusiasmava no lo-fi dos anos 90: canções vazias em quase tudo, e ainda assim (não me pergunte como) singulares.

Décimo sexto disco do Guided By Voices. 21 faixas (em 41 minutos), com produção da própria banda. Lançamento Guided By Voices Inc. B

Anúncios

2 comentários em “♪ | Let’s Go Eat the Factory | Guided by Voices

    Adalberto disse:
    janeiro 7, 2012 às 1:19 am

    Tiago, no meio desse amontoado de canções (algumas bem fracas), encontramos nesse disco momentos dignos dos bons tempos dessa banda, como as ótimas “Waves”(minha preferida), “The Unsinkable Fats Domino” , “Doughnut for a Snowman”, entre outras.

    Tiago Superoito respondido:
    janeiro 7, 2012 às 1:47 pm

    Waves tá entre as minhas favoritas, Adalberto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s