Os filmes da minha vida (1)

Postado em Atualizado em

A ideia de criar uma lista com os 100 filmes da minha vida pode parecer uma grande bobagem. E, pensando bem, é mesmo.

Refleti bastante, ó meus amigos, antes de sair por esta estrada perdida. Bastante. Mas cheguei à seguinte conclusão: se eu não começasse esta jornada, envelheceria para sempre frustrado. E não estou sendo dramático em relação a tudo isso, acreditem.

O objetivo aqui é, acima de tudo, não repetir os erros que cometi na neverending saga dos 100 Discos da Minha Vida. O maior deles: em alguns momentos, olhando agora no retrovisor, percebo que aquela lista ficou um pouquinho impessoal, como se eu quisesse listar os discos que admiro – e não muito aqueles que acabaram marcando a minha vida, talvez por motivos que escaparam do meu controle.

Pois bem: nesta lista de filmes, o critério definitivamente não é o de um ranking de melhores, de mais influentes, de mais mágicos ou perfeitos (ou algo do gênero). O que vocês vão encontrar é uma listinha muito particular, uma espécie de diário-a-lápis que conta histórias sobre a minha relação com o cinema.

Em muitos casos, nem lembro muito sobre o conteúdo dos filmes. Por isso, este guia será totalmente inútil a quem procura indicações para alugar DVDs ou programar opções na tevê por assinatura. Tentarei escrever textos também rasteiros, inúteis, como que flashes de lembranças. Não vão servir para muita coisa, garanto.

Minto. Talvez eles sirvam para que vocês entendam um pouco mais sobre a pessoa que escreve neste blog. Estes filmes, de uma forma ou de outra, me entregam. O blogueiro está nu. Eles foram afinando meu olhar, mesmo sem o meu consentimento.

Ao contrário da lista de discos, esta aqui não tem links para downloads. Infelizmente. Se vocês quiserem se aventurar nesses filmezinhos, terão que ir à luta por conta própria (mas sei que os cinco leitores deste blog são todos grandinhos e, portanto, tudo vai dar certo).

A lista segue numa ordem que não é linear. Começa na minha infância, com o primeiro filme que vi no cinema, e termina na minha adolescência. Tem filmes que vi este ano e alguns que vi em 1991, 1995. Filmes em película, em DVD, em VHS. Filmes medíocres e obras-primas. Filmes que não consigo rever (porque desatam memórias difíceis) e filmes que revi vinte vezes. Filmes que me ensinaram e que me deseducaram, filmes cujo impacto ainda não sei explicar.

Tal como o ranking dos discos, este aqui vai irritar profundamente àqueles que lutam contra o “umbiguismo” na escrita sobre obras de arte. A esses supostos leitores, peço paciência: estes pequenos textos tratam apenas dos encontros entre um sujeito irrelevante (eu) e imagens que talvez vivam centenas, milhares de anos.

Uma grande bobagem, portanto (que vou tentar atualizar às segundas-feiras, toda semana; stay tuned).

100 | Os Trapalhões no Auto da Compadecida | Roberto Farias | 1987

O primeiro filme que vi no cinema estremeceu a minha rua. Eu, oito anos de idade, estava tão perplexo quanto os vizinhos, os meus primos, os meus amigos. “Vi com meus próprios olhos: o Didi morre“, eles diziam. E aquela ideia me dava arrepios. Porque os filmes dos Trapalhões, que eu via em VHS e na tevê, eram espetáculos de circo: comédias que deveriam nos alienar da ideia de morte. Daí que a sessão de O Auto da Compadecida, com Renato Aragão no papel de João Grilo, contaminou o cinema (e era um cinemão, desses que não existem mais) com um ar de desemparo. Lembro bem. Era como se alguém tivesse lançado fogo na lona, maltratado os bichos, assediado a bailarina. O fim do filme resolve essa impressão de desencanto (Didi vive!), mas, quando penso naquela sessão, tudo o que aparece nas memórias é a derrota do herói. A morte. E o cinema, para mim, começou estranhamente assim: como um espaço de melancolia, um templo de verdades difíceis, de descobertas às vezes desagradáveis.

099 | Confiança | Trust | Hal Hartley | 1990

É um dos filmes da minha pré-adolescência, e tenho quase certeza de que o encontrei na hora certa. Lembro muito pouco sobre ele, mas o que lembro me parece imaturo, um tanto pueril. Não sei se, numa revisão, ele ainda me diria alguma coisa. De qualquer forma, na época era um dos filmes que eu mais admirava, e eu até achava que o compreendia totalmente. Eu queria ser um daqueles personagens, vagando vagabundamente por Long Island, conversando sobre Sentimentos Densos de um jeito descompromissado, como quem discute o capítulo da novela. Uma ceninha ficou: aquela em que Adrienne Shelly de repente despenca do muro, só para ver se o Martin Donovan vai impedir que ela caia. Ele impede: e aquilo ali me tocava, quando eu tinha 11 anos de idade e não sabia quase nada sobre cinema independente americano, Hal Hartley, juventude, amizade e confiança.

41 comentários em “Os filmes da minha vida (1)

    Daniel Pergamo Pilon disse:
    setembro 18, 2011 às 12:45 am

    Não lembro se vi esse dos Trapalhões ou não, mas vi recentemente o Trust e gostei demais, talvez ainda tenha o que dizer, hehe.

    Ricardo disse:
    setembro 18, 2011 às 1:23 am

    Opa! Que beleza, mais uma listinha pra acompanhar! rs

    semionato disse:
    setembro 18, 2011 às 1:44 am

    trust é demais. mas henry fool? simple men? difícil escolher um dos três.

    Ailton Monteiro disse:
    setembro 18, 2011 às 1:52 am

    Aê, esse negócio de listas é viciante, hein! Hehehe. Acho que não cheguei a ver CONFIANÇA. Talvez não tenha simpatizado com Hal Hartley em nenhum momento de minha vida. E esse dos Trapalhões, eu não vi no cinema. Mas vi uns trechos na tv e me pareceu perfeito o Renato Aragão como o João Grilo. Sou do tempo em que Os Trapalhões era programa de reunião da família todos os domingos à noite. Depois que o programa acabou coincidentemente minha família foi se desarticulando.

    Adalberto disse:
    setembro 18, 2011 às 2:41 am

    Nunca assisti nenhum destes dois filmes, Tiago.Mas estou seguindo seu conselho e baixando neste momento o filme “Confiança (Trust )”.
    Já o dos trapalhões só me lembro de ter gostado do “Os Saltimbancos Trapalhões”, e quando o assisti eu ainda era apenas um guri.E acho que jamais me aventuraria a ver outro filme deles.

    Fica tranquilo,Tiago, eu sei que “os cinco leitores” deste blog vão acompanhar fielmente essa nova saga.Pelo menos a minha audiência eu garanto…kkkkkkkkkkk…

    Abraço, garoto e ótimo domingão.

    Tiago Superoito respondido:
    setembro 18, 2011 às 2:45 am

    Pois é, Pilon, preciso ver de novo. Mas sei não, hem. Eu gostava muito do Hartley, depois fui me desinteressando.

    Valeu, Ricardo.

    Simple Men eu gostava muito, Guilherme. Henry Fool menos (mas hoje reconheço que deve ser o melhor filme dele).

    Ailton, vi esse filme dos Trapalhões há uma eternidade, mas tenho certeza que o Renato Aragão faz um João Grilo melhor que o do Matheus Nachtergaele, hehe.

    Brigadão, Adalberto. Um leitor garantido já é massa demais. Abraço.

    Ailton Monteiro disse:
    setembro 18, 2011 às 3:40 am

    É que o João Grilo do Nachtergaele ficou muito falastrão.

    Tiago Superoito respondido:
    setembro 18, 2011 às 12:39 pm

    Verdade.

    Gnomoverde disse:
    setembro 18, 2011 às 3:43 pm

    Nã que você queira saber, mas como se trata do primeiro filme que você viu no cinema, tenho um impulso irresistível de contar pra todos que o meu foi Star Wars – O Retorno de Jedi. Inclusive, foi o primeiro da saga que vi na vida.
    Sempre gostei de O Auto da Compadecida. Meio que sempre esnobei Os Trapalhões, enquanto a galera da minha rua adorava. Mas gostei muito de ver o Mussum como a Compadecida! Kkkkkkkkk! E a versão com o Selton Mello é impagável.
    Curti a proposta dessa lista mais que pessoal. Mesmo com essas “regras” (e talvez atépor isso mesmo), seguirei com afinco sua jornada. =)

    Gnomoverde disse:
    setembro 18, 2011 às 3:45 pm

    Ah! Esqueci de dizer que nunca assisti Confiança! I’ll search it!

    Tiago Superoito respondido:
    setembro 18, 2011 às 3:47 pm

    É isso aí, Gnomo, vamos em frente! (e não lembro do Mussum no filme, mas aposto que ele tava ótimo).

    Pedro Primo disse:
    setembro 18, 2011 às 6:41 pm

    Acho que o dos Trapalhões que marcou a minha infância foi “O Noviço Rebelde” (que tinha até Sandy & Junior), prefiro não rever esse, deve ser uma merda enorme, hahah.

    Estou baixando o Trust, vou tentar acompanhar os que eu não assisti.

    Tiago Superoito respondido:
    setembro 18, 2011 às 7:14 pm

    Esse aí eu vi também no cinema, Pedro, levando a minha prima (que na época tinha uns quatro anos). Não reveja, é horrível.

    daniel disse:
    setembro 18, 2011 às 9:56 pm

    Como eu acho muito interessantes essas listas e os leitores do blog parecem gostar bastante aí vai uma sugestao:
    Além dessas listas de 100 voce poderia fazer listas anuais dos discos mais importantes de cada ano…..
    Seria bem legal….

    Tiago Superoito respondido:
    setembro 18, 2011 às 10:10 pm

    Sempre faço, Daniel. Em dezembro elas chegam, aguarde.

    Ailton Monteiro disse:
    setembro 19, 2011 às 11:17 am

    Acho que o Pedro Primo não deu sorte e acabou pegando a fase decadente dos Trapalhões. Meu favorito deles ainda é OS TRAPALHÕES NO PLANALTO DOS MACACOS. Mas também gosto de OS SALTIMBANCOS também, claro. Alguns outros se misturam na memória.

    Tiago Superoito respondido:
    setembro 19, 2011 às 12:19 pm

    Ailton, eu vi ‘A princesa Xuxa e os Trapalhões’ no cinema, então essa fase decadente começou há muito-muito tempo, hehe.

    Luciana disse:
    setembro 19, 2011 às 1:39 pm

    Tiago, assinei seu feed e estou adorando seus posts!!
    Tenho alguns blogs e sei como é a dificil jornada de se sentir escrevendo pra ninguém!
    Mas nós te lemos!
    E te adoramos!!

    Um grande abraço e parabéns pelo blog!

    Tiago Superoito respondido:
    setembro 19, 2011 às 1:46 pm

    Êba, obrigado, Luciana! Você é muito gentil.

    Sim, alguém disse certa vez que escrever blogs é jogar no mar um monte de garrafinhas com mensagens dentro. Impossível saber onde elas vão chegar (mas a gente continua escrevendo, por teimosia). Abraço.

    André Alvarez disse:
    setembro 19, 2011 às 3:51 pm

    Oi Tiago. Legal acompanhar mais uma lista tua.
    Já leu um livro chamado “Os Filmes da Minha Vida”, do chileno Alberto Fulguet? Tem esse mesmo tom que vc pretende adotar: muito mais sobre a vida que sobre os filmes, e sem nenhuma preocupação com o cânone, nem mesmo com a qualidade da lista. É um livro legal, talvez sirva de inspiração.

    Tiago respondido:
    setembro 19, 2011 às 4:58 pm

    Valeu pela dica, André, vou procurar. Essas listas de “filmes da vida” são bem recorrentes, tem até uma parte da programação da Mostra de SP com bate-papos sobre o tema (aliás, virou livro).

    Ailton Monteiro disse:
    setembro 19, 2011 às 5:23 pm

    Tiago, acho que eu é que tou velho. Mas já que vc falou em porcaria, declaro por aqui – mas que fique só entre nós – que eu vi XUXA POPSTAR no cinema em 2000. E eu era bem crescidinho. Tudo culpa da namorada. Depois ela se arrependeu também. Principalmente ao ver a minha cara de raiva o resto da noite.

    Patrick disse:
    setembro 19, 2011 às 6:15 pm

    Sou leitor de ”passagem” (ok, não sou não!). Costumo ler e não postar nada, mas, a esse eu não resisti! Tiago viciou em listas! Ops, ele já era viciado…. Hehe, parece que agora ele resolveu liberta-las.

    Tiago respondido:
    setembro 19, 2011 às 6:45 pm

    É um processo terapêutico de libertação das listas, Patrick. Um lance meio holístico, não sei se você entende.

    Humberto Junior disse:
    setembro 19, 2011 às 11:24 pm

    huashashuaszhuashuahuashuashuas, muito bom supa, amei chegar em casa, depois de 11 horas na faculdade (sei la como se escreve), e ve que voce tinha postado essa lista mto boa, valeu supa, suas listas melhoram o nosso dia.

    Humberto Junior disse:
    setembro 19, 2011 às 11:27 pm

    http://www.wupload.com.br/file/84887493/Trust+-+Hal+Hartley+1990.avi achei esse link ai pro trust, e avisa ai pra galera descolada e bonita q acessa seu blog, do nosso novo pacto, quem achar onde tem pra baixar o filme, comenta com o link pra download, pode ser?

    Adalberto disse:
    setembro 20, 2011 às 12:52 am

    Boa idéia, Humberto!
    Tô dentro…
    Vamos nessa, galera?

    Thais disse:
    setembro 20, 2011 às 12:53 am

    Oi, Tiago! Adorei a notícia de que a lista dos filmes começou! Vai ser uma aventura interessante! Trust não me é um nome estranho, mas não tenho certeza se já assisti. Flerte foi o que marcou a minha adolescência por motivos que nem lembro. Ah! Tinha me esquecido como Martin Donovan era meio “muso” do Hartley… Os Trapalhões “das antigas”, com certeza, traz boas recordações pra muitas pessoas. Depois veio a decadência, mas isso é outra história.
    Desculpe-me se estou muito atrasada: a nova cara do seu blog está bem bonita! =D
    Abraço

    Tiago respondido:
    setembro 20, 2011 às 1:18 am

    Humberto, a intenção é boa, meu velho, mas acho que vcs não vão encontrar links pra alguns dos filmes da lista… Tem mais de onde saiu esse aí dos Trapalhões, hehe.

    Thaís, vai ser uma aventura interessante e meio bizarra. Brigadão, abraço!

    Humberto Junior disse:
    setembro 20, 2011 às 1:25 am

    super-hipster-oito meus filmes sao tao andergraudis (sei la como se escreve) que voces provavelemente nunca encontrarão links pra baixar
    brincando, mas pior q tem mto filme impossivel de achar pra baixar mesmo, ou uns q vc tem q baixar 17 partes num servidor ucraniano que te permite baixar apenas 1 parte de 5 em 5 dias

    Tiago respondido:
    setembro 20, 2011 às 1:28 am

    O filme mais underground da lista é esse dos Trapalhões mesmo, haha

    Adalberto disse:
    setembro 20, 2011 às 3:08 am

    Tiago, é claro que não sei quais serão os próximos filmes desta lista.
    Mas sempre que procuro algum filme para baixar(até algums bem difíceis) eu acho…
    Não subestime, o faro aguçado de seus “cinco leitóres”. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

    Tiago Superoito respondido:
    setembro 20, 2011 às 12:18 pm

    Então vou passar uma listinha de filmes pra você procurar, Adalberto, haha.

    Adalberto disse:
    setembro 20, 2011 às 1:24 pm

    Será um belo desafio, Tiago.
    Pode mandar…

    Samuka disse:
    setembro 20, 2011 às 3:24 pm

    Huahua, achei até o Filme dos trapalhões nesse link aqui ó

    http://www.fileserve.com/file/MJyHTYq

    Nada é totalmente impossível de se achar na internet, rs

    Tiago Superoito respondido:
    setembro 20, 2011 às 4:11 pm

    Ê, beleza.

    Duque disse:
    setembro 20, 2011 às 8:00 pm

    Então, lá vamos nós em mais uma saga! Também vou nessa de tentar baixar e ver os filmes enquanto a lista progride. E Tiago, acho que pelo número de comentários dá pra ver que as suas mensagens na garrafa são muito apreciadas né? haha

    Abraço

    Tiago Superoito respondido:
    setembro 20, 2011 às 8:07 pm

    Desta vez as garrafinhas chegaram, Duque, hehe. Abraço.

    Michel Simões disse:
    setembro 21, 2011 às 11:28 pm

    Opa, outra lista deliciosa para acompanhar. Mas cadê o cara que está sem tempo? hahaha

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s