Os discos da minha vida (40)

Postado em Atualizado em

A saga dos 100 discos que traumatizaram a minha vida apresenta um episódio especialmente freudiano. Não sei exatamente por que, talvez meus sonhos expliquem (talvez seja algo que reprimi na infância), mas sempre tremo nas bases quando ouço os dois álbuns que aparecem neste quadragésimo episódio da saga mais geniosa e sensível do ciberespaço.

Algumas explicações possíveis: o disco de número 22 tem The fool on the hill, que resume o lado carente/autodepreciativo da minha pré-adolescência, e a instrumental Flying, que serviu de trilha sonora para o primeiro filme caseiro que dirigi (uma animação de fantoches inspirada livremente em Caminhos perigosos). 

Mais explicações: o disco de número 21 tem Disarm, que resume o lado psicótico/suicida da minha pré-adolescência (que, como vocês podem notar, foi um tanto contraditória e movimentada), e Soma, que me apresentou ao universo de Aldous Huxley sem que eu desconfiasse disso.

São dois ótimos discos, que eu gostaria muito de ouvir mais vezes, mas não consigo. O efeito de nostalgia e (às vezes) puro desespero que eles provocam é mais forte do que a revisão de fotografias antigas (sabe aquelas fitas empoeiradas de VHS, gravadas no aniversário da vó? pior). Por isso, faço o convite: ouça essas belezinhas, mas não me convide, ok?

E vamos em frente que esta segunda-feira está mais sonolenta que de costume. 

022 | Magical mystery tour | The Beatles | 1967 | download

Na história dos Beatles, está longe de representar um capítulo dos mais especiais. Na verdade, é uma loucura colocá-lo à frente de Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, lançado naquele mesmo 1967. Mas taí: esta coleção oportunista de singles (que abre com EP de trilha sonora) ainda me parece o bufê de sobremesas mais apetitoso do rock britânico, irrecusável do início ao fim. Algumas das minhas favoritas do grupo estão aqui (entre elas, a preferida de John Lennon, I am the walrus). No mais, o tempo mostrou que “sobras” de Sgt. Pepper’s como Strawberry fields forever e Penny Lane são mais poderosas, mais perenes que a maior parte das canções incluídas naquele discão. Sem querer forçar comparações absurdas (mas já forçando), é como se os Beatles tivessem decidido gravar uma alternativa pop, despreocupada, ao formato conceitual que estava em voga na época: um Help! com material de Sgt. Pepper’s. É claro que a história não aconteceu assim, mas a sensação de leveza genial é essa aí. Top 3: I am the walrus, Strawberry fields forever, The fool on the hill.

021 | Siamese dream | Smashing Pumpkins | 1993 | download

Você, caro leitor, não era um moleque de 14 anos quando este disco foi lançado? Então entendo por que Siamese dream talvez não tenha despertado empatia imediata. Antes de se tornar uma figura quase cartunesca (em alguns momentos, grotesca), naquela época, no inverno rigoroso de 1993, Billy Corgan era apenas um velho adolescente com muitos esqueletos (e algumas belas canções) dentro do armário. Poucos discos de rock do período (talvez apenas Nevermind) se comunicaram tão diretamente com uma juventude que não conseguia mais se conectar com o colorido eufórico e impessoal da MTV. Today, o single que estourou por aqui, talvez sintetize essa melancolia irônica, essa vontade louca de quebrar os brinquedos de plástico: o clipe se aproveitava de uma palheta agradável de cores, mas havia algo histérico, desesperado na interpretação de Corgan. Ele nos convencia que não, hoje não é o melhor dia de todos – e amanhã as coisas não vão mudar. O sofrimento do vocalista, naquela temporada grunge, soava tão overacted e tão plausível quanto o nosso. Se consumido depois dos 30 anos, este belo disco de teenage angst deve perder quase todo o charme (mas não sei, morro de medo de tentar de novo). Top 3: Disarm, Cherub rock, Today

Após o pulo, confira os discos que já apareceram neste ranking.

23 odelay, beck
24 velvet underground and nico, velvet underground
25 rubber soul, the beatles
26 kid a, radiohead
27 zen arcade, hüsker dü
28 transa, caetano veloso
29 low, david bowie
30 nashville skyline, bob dylan
31 wowee zowee, pavement
32 odessey and oracle, zombies
33 as quarto estações, legião urbana
34 last splash, the breeders
35 what’s going on, marvin gaye
36 daydream naton, sonic youth
37 abbey road, the beatles
38 the soft bulletin, flaming lips
39 plastic ono band, john lennon
40 london calling, the clash
41 exile on main street, rolling stones
42 younger than yesterday, the byrds
43 sgt. pepper’s lonely hearts club band, the beatles
44 stankonia, outkast
45 the who sell out, the who
46 is this it, the strokes
47 astral weeks, van morrison
48 mighty joe moon, grant lee buffalo
49 le historie de melodie nelson, serge gainsbourg
50 the ramones, the ramones
51 the dark side of the moon, pink floyd
52 construção, chico buarque
53 parklife, blur
54 murmur, rem
55 music from big pink, the band
56 bringing it all back home, bob Dylan
57 in the wee small hours, Frank sinatra
58 moon safari, air
59 the stooges, the stooges
60 carnaval na obra, mundo livre sa
61 paul’s boutique, beastie boys
62 in utero, nirvana
63 american beauty, greateful dead
64 ladies and gentlemen, we are floating in space, spiritualized
65 os mutantes, os mutantes
66 discovery, daft punk
67 sea change, beck
68 dusty in memphis, dusty springfield
69 69 love songs, the magnetic fields
70 portishead, portishead
71 scott 4, scott walker
72 teenager of the year, frank black
73 either/or, elliott smith
74 elephant, the white stripes
75 on the beach, neil young
76 deserter’s songs, mercury rev
77 off the wall, michael jackson
78 post, bjork
79 surf’s up, beach boys
80 pulp fiction, soundtrack
81 songs from a room, leonard cohen
82 a ghost is born, wilco
83 under a red blood sky, u2
84 behaviour, pet shop boys
85 sheik yerbouti, frank zappa
86 electro-shock blues, eels
87 this is hardcore, pulp
88 brotherhood, new order
89 selvagem?, os paralamas do sucesso
90 merriweather post pavilion, animal collective
91 all things must pass, george harrison
92 the downward spiral, nine inch nails
93 bookends, simon and garfunkel
94 mezzanine, massive attack
95 #1 record, big star
96 summer in abbadon, pinback
97 gentleman, the afghan wighs
98 grievous angel, gram parsons
99 ten, pearl jam
100 grand prix, teenage fanclub

30 comentários em “Os discos da minha vida (40)

    Adalberto disse:
    maio 17, 2011 às 12:48 am

    É engraçado Tiago, Siamese Dream causa a mesma sensação “inexplicável” em mim também.

    Adalberto disse:
    maio 17, 2011 às 12:59 am

    Mas vou tomar coragem e ouvi-lo agora mesmo!
    Espero que você tome coragem, tente ouvi-lo também.

    carol disse:
    maio 17, 2011 às 1:34 am

    Vendo o carinho que você tem com tantos discos dos Beatles dá pra entender melhor porque você detestou tanto o que Across the universe (o filme) fez com as músicas da banda…(sim sou leitora desse blog há muito tempo ^^)

    Daniel Pilon disse:
    maio 17, 2011 às 1:51 am

    Eu só coloco na frente desse dos Beatles o álbum branco e o Abbey Road, mas dentro do propósito dessa lista, o colocaria em primeiro. E dos Pumpkins, tenho um carinho maior pelo Mellon Collie.

    Ailton Monteiro disse:
    maio 17, 2011 às 2:22 am

    O disco dos Pumpkins foi um marco também pra mim, mas curiosamente comecei a cultuá-los pelo Mellon Collie… O Siamese..eu ainda esculto bastante.. Principalmente a primeira faixa (“Cherub Rock”) e o rockão “Geek USA”. Aliás, só de pensar nessa faixa, já dá vontade de ouvir no volume máximo. Mas depois das 11 da noite fica complicado. hehehe

    Quanto ao disco dos Beatles que vc listou, é curiosamente um dos que eu menos gosto. Ponho lá atrás entre os meus favoritos… Não sou muito fã da sonoridade psicodélica de 1967 da banda, na verdade.

    Taís Rodrigues disse:
    maio 17, 2011 às 2:29 am

    Tiago, sabe que eu gosto deste mais que do Sgt. Peppers também? Strawberry Fields embalou muitos momentos emblemáticos da minha adolescência.

    Diego disse:
    maio 17, 2011 às 3:30 am

    Passei incólume por Pumpkins. Acho que minha adolescência foi tranquila demais, então preferia Foo Fighters e Nirvana :P

    Daniel disse:
    maio 17, 2011 às 4:52 am

    Assim como o meu xará e o Ailton lá em cima, eu gosto do Siamese Dream, mas acho que a obra-prima dos Pumpkins é o Mellon Collie. O Billy Corgan tava ungido quando fez aquele disco.

    Quanto aos Beatles, eu amo o Magical Mystery Tour disco. Já o Magical Mystery Tour filme…

    Ricardo Fontes disse:
    maio 17, 2011 às 5:19 am

    Nostálgico e muito marcante para mim também Smashing Pumpkins. Lembro quando conheci o finado Skunk, membro e mentor nos primórdios do Planet Hemp, e ele me mostrou uma K7 com Gish do SP no lado A e “Pretty On the Inside” do Hole no lado B.

    Não preciso dizer que Gish é o meu predileto dos Pumpkins até hoje, apesar de adorar o Siamese Dream tb.

    E o Magical Mistery Tour acho indispensável em qq coleção mas em termos de Beatles ele fica em 5º ou 6º.

    jv disse:
    maio 17, 2011 às 1:00 pm

    Tiago, tem loucura nenhuma não. Magical Mystery é melhor que o Pepper’s.

    loucura é quem acha o Pepper’s o melhor disco dos Beatles… pra mim não sei se entra nem num top 5 deles.

    Rafael disse:
    maio 17, 2011 às 1:44 pm

    Quanta nostalgia. Algumas canções do Siamese dream são uma grande descarga emocional mesmo. O Smashing Pumpkins foi uma banda mágica para quem viveu a adolescência nos anos 90.

    Diego disse:
    maio 17, 2011 às 2:32 pm

    Ok, galera tá começando a exagerar sobre Sgt. Pepper’s aqui.

    Adalberto disse:
    maio 17, 2011 às 3:08 pm

    O melhor álbum dos Beatles é o Rubber Soul.

    jv disse:
    maio 17, 2011 às 4:29 pm

    top 5 Beatles…

    Abbey Road
    White Album
    Revolver
    Magical Mystery
    With the Beatles

    as posições variam, mas é por aí…

    Tiago Superoito respondido:
    maio 17, 2011 às 4:48 pm

    Puts, nem vou conseguir responder todo mundo… Mas Carol, eu DETEEEESTO Across the Universe com todas as minhas forças. Principalmente porque eles cagaram com o que eu mais gosto nos Beatles: a música. Você entendeu direitinho, haha.

    Ailton, fiquei em dúvida entre Melon Collie e Siamese dream, dois discos que marcaram muito a minha adolescência. Mas decidi escolher só um, porque dois Smashing Pumpkins numa lista de 100 é um exagero (o mesmo acontece com o U2, aguarde).

    Ricardo e Pilon, acho que é por aí: Sgt Pepper’s é o monumento, o Grande Disco, e Mystery é simplesmente um dos mais queridos. Funciona mais ou menos como um greatest hits. Mas não sei se é melhor, JV. Desconfio que não.

    Felipe Moraes disse:
    maio 17, 2011 às 4:56 pm

    I am the walrus, a minha favorita dos Beatles — e do Donny, do Big Lebowski, também.

    Tiago Superoito respondido:
    maio 17, 2011 às 5:05 pm

    E do Lennon, Felipe.

    jv disse:
    maio 17, 2011 às 5:36 pm

    you’re out of your element, Felipe.

    jv disse:
    maio 17, 2011 às 5:45 pm

    acho que podemos fechar com a opinião de Ringo sobre o Sgt. Pepper’s: “nunca joguei tanto xadrez na vida”.

    Tiago Superoito respondido:
    maio 17, 2011 às 6:06 pm

    Pô, JV, mas falando assim parece um disco chato, frio, e eu acho que tá longe disso. Ouvi outro dia, é lindão, lindão. O Ringo disse isso porque o Paul fez tudo enquanto ele jogava xadrez. O que só conta a favor do Paul.

    Daniel disse:
    maio 17, 2011 às 6:18 pm

    jv afinzão de criar polêmica…

    Bem, tbm acho q não seja o melhor dos Beatles, mas é certamente o mais importante.

    Claro que é do ser humano querer ir contra as convenções…”todo mundo gosta? Já odiei a priori”.

    loucos devem ser todos esses incompetentes, que há décadas colocam o Sgrt. Pepper’s como o disco mais importantes da história.

    Felipe disse:
    maio 17, 2011 às 6:20 pm

    Tenho que comentar pra tentar reestabelecer o equilíbrio natural das coisas. Gosto muito mais do Sargent Peppers do que do MMT. Aquilo é monstruoso, sagrado, e talvez por isso muitas pessoas tendam a gostar mais do segundo, já que não tem essa cobrança toda pra achar uma obra-prima. Parece que vocês não tão falando de um dsico com She’s leaving home, A Day In The Life, Lucy in the Sky, etc, etc.

    Tiago Superoito respondido:
    maio 17, 2011 às 7:07 pm

    Pepper’s é o disco dos Beatles que virou “cânone”, Daniel. Nem dá pra discutir isso.

    Pois é, Felipe, pode ser que isso aconteça mesmo. Mystery é mais tangível, não tem esse peso de ser “sagrado”.

    Adalberto disse:
    maio 17, 2011 às 9:00 pm

    Do U2, tenho certeza que será o The Joshua Tree .

    jv disse:
    maio 17, 2011 às 9:10 pm

    hahahah
    po, não tô querendo ser o adolescente “contra o sistema” não. só não concordo com esse lance intocável de não poder discutir, pelo contrário: acho legal discutir mesmo.

    as listas sempre estão erradas, inclusive as minhas.

    Felipe, concordo que essas músicas são boas (exceto A Day in the Life, q tá acima de ‘boa’)… mas olha o padrão. Na competição com MMT, elas competem com: Strawberry Fields, I am the Walrus, Penny Lane, All You Need is Love, Hello Goodbye e Fool on the Hill. no banco reserva: Baby You’re a Rich Man.

    Tiago Superoito respondido:
    maio 17, 2011 às 9:25 pm

    Certezas, certezas…

    JV, mas taí uma coisa que o Sgt Peppers tem e o Magical não: CONCEITO! Haha.

    Thirza disse:
    maio 17, 2011 às 10:17 pm

    Eu não tinha 14 anos quando siamese dream foi lançado (tinha 7 ¬¬), mas não esqueço a sensação que tive ao ouvir disarm a primeira vez. Pura agonia.

    Apesar de não ser realmente fã de Smashing Pumpkins, tudo que temo e me fascina no Billy Corgan tem a mesma medida (fiquei horrorizada a primeira vez que vi ele com cabelo! hehe).

    Enfim, é uma droga não poder ouvir, ler ou assistir o que se gosta. É muito fácil se perder nisso tudo.

    Felipe Queiroz disse:
    maio 17, 2011 às 11:00 pm

    Se eu fizer uma enquete com os meus amigos, todos preferirão o Magical Mystery Tour do que Sgt Peppers. Muito porque o primeiro sempre é esquecido pelas listas e o outro é idolatrado. Isso gera certa revolta interna em cada um de nós. Acho que acontece porque o MMT inicialmente foi lançado como um EP duplo, e como o Tiago disse, não tem um conceito defino.

    Racionalmente, acho Sgt Peppers melhor (e muito pq tem A Day in the Life), mas se eu participasse de uma votação para ranquear o melhor disco dos Beatles, colocaria MMT na frente só para vê-lo se dando bem depois de tanto esquecimento.

    Felipe disse:
    maio 18, 2011 às 2:19 pm

    Hello Goodbye deve ser uma das músicas mais irritantes dos Beatles.

    Ricardo disse:
    maio 24, 2011 às 2:20 pm

    Ao lado de Yellow Submarine que quase estraga o Revolver.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s