Os discos da minha vida (11)

Postado em Atualizado em

Cá estamos num novo episódio da saga mais torturante da blogosfera brasileira: a cada semana, dois discos que sonorizaram a minha vida. No total, são 100. A boa notícia é que, após uma peregrinação longa e pouco frutífera, chegamos à casa dos 70.

A má notícia é que, vocês sabem, esta é uma lista obedece a critérios muito particulares, sentimentais e, por isso, contém idiossincrasias que não interessam a ninguém. Culpa minha, foi mal. Mas eu avisei desde o início!

Depois de um capítulo melancólico, com discos bonitos porém tristíssimos, esta segunda-feira chuvosa nos brinda com canções ensolaradas que, por coincidência, remetem à imagem de um fim de tarde à beira-mar. Não está quente, a maré subiu e os bombeiros não nos deixam cair na água. Mas admire a paisagem.

Lembrando que vocês podem fazer o download destes discos praianos e experimentar um pouco deste verão sem fim. Que não é bem verão, se vocês observarem com atenção. 

080 | Music from the motion picture Pulp Fiction | Vários | 1994 | download

A trilha ou o filme? O filme ou a trilha? Pulp Fiction me deixa em dúvida. Não parei para contar as tantas vezes em que revi o filme – de longe, o favorito da minha adolescência. Há momentos em que revejo o filme para voltar a uma determinada cena que me agrada por conta da canção. E há os dias em que volto à trilha para lembrar de uma sequência que parece ter sido feita para preencher os espaços entre os acordes. Uma coletânea genial que, tal como a trilha de Bom Dia, Vietnã, ajudou a formar meu gosto musical: sem Tarantino, eu não teria conhecido Dusty Springfield e Kool & The Gang. Pelo menos não aos 15 anos. Top 3: Jungle boogie, Son of a preacher man, Let’s stay together.   

079 | Surf’s up | The Beach Boys | 1971 | download

Quando se remonta na trajetória dos Beach Boys, os anos 70 são lembrados como um período de poucos hits e discos irregulares, colchas de retalhos costuradas às pressas e com material às vezes duvidoso. Mesmo submersa em loucura e pressões comerciais, no entanto, a banda compôs discos extraordinários usando apenas os cacos de projetos que sempre pareceram extravagantes, complicados demais. É o caso de Surf’s up, que usa uma canção do abortado Smile como partida para uma ciclo de canções que tem algo de aquático (o clima lembra muito Person pitch, do Panda Bear, sem a cacofonia). Wilson fecha o álbum com duas obras-primas que me trituram todas as vezes em que as ouço, a começar por Til I die. Wilson, vocês notarão no decorrer desta lista, é um dos meus heróis. Top 3: Surf’s up, Til I die, Don’t go near the water.

20 comentários em “Os discos da minha vida (11)

    Felipe Queiroz disse:
    outubro 18, 2010 às 8:55 pm

    Algo me diz que Pet Sounds será o seu disco número 1…

    Tiago Superoito respondido:
    outubro 18, 2010 às 8:58 pm

    Tem um tempão pra chutar outras alternativas…

    Daniel disse:
    outubro 19, 2010 às 1:45 am

    Ah, demais vc ter citado o Surf’s Up, adoro esse disco. Acho q a maioria das pessoas acham q a única coisa relevante q os Beach Boys fizeram foi o Pet Sounds, mas eles lançaram grandes discos antes e depois.

    Além das q vc citou, gosto muito de “Long Promised Road”, “Disney Girls (1957)” e “Feel Flows”. E Brian Wilson é o grande herói do pop, como teria sido a música sem ele?

    Pulp Fiction (o filme) é demais, vi várias vezes, mas não chego a me considerar fã do Tarantino (mesmo tendo visto todos os filmes).

    André disse:
    outubro 19, 2010 às 3:51 am

    Nem pensa em dar fim ao blog, viu? Espero estarmos entendidos. Obrigado.

    Lucio in the sky disse:
    outubro 19, 2010 às 10:12 am

    Gosto da trilha sonora de Pulp Fiction… Acho que foi a primeira vez que prestei atenção na música, antes do filme propriamente…

    http://luciointhesky.wordpress.com/2010/10/18/billie-joe-do-green-day-surta-e-leva-os-fas-a-loucura/

    Tiago respondido:
    outubro 19, 2010 às 11:40 am

    Essas músicas também são ótimas, Daniel. E também não imagino como seria a música sem o Wilson. Pra mim, pelo menos, teria perdido a graça.

    André, pensar em fechar o blog eu penso, não dá pra mentir. Mas acho que ele ainda vai durar um tempo…

    Vou ler o texto do Green Day, Lúcio.

    Érico disse:
    outubro 19, 2010 às 3:02 pm

    Tem outras trilhas sonoras no restante da sua lista?

    semionato disse:
    outubro 19, 2010 às 3:29 pm

    saudade dos tempos de big star e gram parsons que não voltam mais.

    Tiago Superoito respondido:
    outubro 19, 2010 às 3:34 pm

    Não, Érico.

    O Semionato me lembra muito uma amiga da minha avó. Ela sempre reclama de alguma coisa. E faz isso já há tanto tempo que, quando ela não reclama, parece que algo está errado.

    Daniel disse:
    outubro 19, 2010 às 9:09 pm

    semionato

    saudade dos tempos de big star e gram parsons que não voltam mais.

    Concordo plenamente. Beach Boys, bandinha ordinária liderada por um lunático totalmente desprovido de talento, Brian alguma-coisa.

    Daniel disse:
    outubro 19, 2010 às 9:20 pm

    Engraçado q Beach Boys é influência óbvia pro Big Star…mas enfim :)

    Sem dúvida Tiago, o mundo sem Brian Wilson teria sido muito mais vazio, mais triste. E nós não teríamos “God Only Knows”. Só isso já define tudo.

    Aliás, vc ouviu o disco dele em q ele reinterpreta canções do Gershwin? Tem algumas preciosidades lá…

    Diego disse:
    outubro 19, 2010 às 9:37 pm

    Eu espero que você repita bandas nesse top 100.

    Samuel disse:
    outubro 20, 2010 às 4:18 am

    Surf’s Up, adoro. Discão. Esses dias, escolhendo canções pra tocar numa reunião de amigos, selecionei Student Demonstration Time (que antecipa o título da obra-prima do Sly & Family Stone no refrão: “there’s a riot goin’ on”), sem dúvidas de sombra das melhores canções feitas pra tomar banho dançando.

    A entrada daquele sintetizador no meio de Long Promise Road é um dos meus momentos preferidos do disco, que é cheio de momentos de sofisticada e sobrenatural beleza (Disney Girls e Feel Flows, coisas lindas). Que bom que você foi além do Pet Sounds, os Beach Boys têm outras pérolas tão valiosas quanto o clássico de 1966. E, realmente, Till I Die é de fazer chorar.

    Tiago respondido:
    outubro 20, 2010 às 10:02 am

    Pois é, Daniel, o que seria do Big Star sem Beach Boys?

    Tem repetição de bandas, Diego. Mais para frente.

    Diego disse:
    outubro 21, 2010 às 6:52 pm

    Gostaria de dizer que Tiago me confidenciou o número 1 da lista.

    Vendo a informação por um preço negociável.

    Tiago Superoito respondido:
    outubro 21, 2010 às 8:59 pm

    Porra, Diego! Não estraga a brincadeira! :)

    semionato disse:
    outubro 23, 2010 às 7:00 am

    admito publicamente que god only knows é deslumbrante, mas 90% das músicas do BS ganham em Aura.

      Tiago Superoito respondido:
      outubro 23, 2010 às 11:59 am

      BS é Belle & Sebastian? Diga que não, por favor.

    semionato disse:
    outubro 23, 2010 às 7:03 am

    e eu falho terrivelmente em ver o link entre BB e BS. foi mal, ainda sou especialmente obtuso na Música.

    o country ainda me deixou mais bronco. mas, claro, ainda sou capaz de discernir ironia e, daniel, tô de olho em você, rapá.

    porra, tiago. coloca pet sounds logo e deixa o caminho livro pro que importa de verdade.

    semionato disse:
    outubro 23, 2010 às 7:04 am

    saudades de criar confusão! tão saudável. anticancerígeno.

    cadê meu xará, tiago? quero irritá-lo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s