Dia: fevereiro 9, 2010

2 ou 3 parágrafos | Food, INC

Postado em

Se me obrigassem a optar entre este documentário e The cove (ambos indicados ao Oscar), eu jogaria os dois filmes para o alto e escolheria aquele que caísse primeiro no chão. Os temas, é claro, são diferentes. Mas, formalmente, são cineplanfletos muito parecidos. Nos dois casos, o espectador é convidado, ao fim da palestra, a acessar um site e participar de uma corrente ecologicamente correta.

Respeito a ideia de defender apaixonadamente uma causa, sem objetivo jornalístico nem nada, mas a pregação me incomoda um pouco. Esse procedimento lembra um pouco os métodos de Michael Moore e do Al Gore (em Uma verdade inconveniente): todos os argumentos são válidos, contanto que não arranhem a tese do cineasta. Não há espaço algum para contradições, complexidade, coisas inexplicáveis. A ladainha é toda pré-fabricada — o que resta é mostrá-la de forma didática aos “leigos” (isso vale para o vídeo dos golfinhos mortos e, em Food, INC, para a visita aos campos de concentração de galinhas).

Ainda assim, dentro desse molde sufocante, vejo algum interesse em Food Inc (3/5). Não tanto nas “denúncias” do filme (eu mesmo, que nem me preocupo muito com alimentação, já sabia sobre a maior parte das informações que estão aqui), mas por algumas reflexões “de raspão” sobre o comportamento humano. O modo como, por exemplo, instintivamente acreditamos que alguém (ou alguma empresa, associação, ou o governo) garante a nossa proteção quando compramos uma embalagem de pão ou um pote de maionese. A verdade é que ninguém garante: e é esse o horror que está embutido neste filme.