2 ou 3 parágrafos | Brüno

Postado em Atualizado em

bruno

Borat não era um filme assim tão arriscado — satirizar a América dos conservadores em plena era Bush era pregar para os convertidos —, mas não lembro de ser uma comédia inerte. Tenho que rever. Em todo caso, Brüno (4/10) me pegou de surpresa: uma provocação curtinha, mas que parece interminável, de um humor agonizante, que vai se arrastando em cenas constrangedoras. Um über fiasco.

Nem vou falar no meu risadômetro (que ficou quase congelado no ponto zero), mas o projeto todo me parece um tiro pela culatra: é de uma redundância atroz. E, se você pretende escrever uma comédia supostamente anárquica e atrevida, meu amigo, anote aí — o pecado da preguiça é mortal. Antes fosse uma sátira sobre o mundinho da moda e das celebridades instantâneas. Mas nem isso. Cohen logo abandona a ideia para metralhar os vilões de sempre: os racistas, homofóbicos, hipócritas, os negros racistas, os héteros fascistas, os gays afetados (nem sobrou para os héteros jornalistas que curtem Jonas Brothers, mas me senti atingido) etc. Não me admiro que Bono, Chris Martin e Elton John tenham topado participar da brincadeira (a palavra é essa mesmo): o filme joga o tempo todo para a torcida do ator, e ainda sai por cima com pose de bem intencionado. Tão 2006!

É triste, mas taí: Cohen periga virar, no pior dos sentidos, o Michael Moore das comédias. Este é o Fahrenheit 11 de setembro dele. O truque começa a perder o efeito e passa a exibir uma engrenagem simplória sob a casca engraçadinha. E daqui pra frente? Quanto ele soltar um Sicko, alguém ainda vai se importar?

11 comentários em “2 ou 3 parágrafos | Brüno

    Chico disse:
    agosto 12, 2009 às 11:12 pm

    Hehe… Falei a mesma coisa sobre o Sacha ser o Michael Moore das comédias.

    O filme é muito ruim. Parece piada velha.

    Tiago Superoito respondido:
    agosto 13, 2009 às 2:37 am

    Eu acho até que poderia ter sido um bom filme se tivesse se concentrado mais na ficção pura e simples e criado um conceito diferente do de Borat. O humor do Sacha depende do elemento-surpresa. Repetir a piada quase literalmente… Não dá. Não funciona. Em comédias, é crime.

    Diego disse:
    agosto 13, 2009 às 9:35 pm

    Crime é não fazer rir. Repetir piada é o menor dos problemas quando ela é boa – como me parece ser o caso aqui.

    Tiago Superoito respondido:
    agosto 13, 2009 às 9:37 pm

    Ok, essa história de rir ou não rir é quase mística, mas, no meu caso, dei duas risadas. Bem de leve. E eu estava muito bem humorado.

    Chico disse:
    agosto 13, 2009 às 11:24 pm

    Eu até dei mais do que duas, mas nada demais.

    leandro rizzi disse:
    agosto 14, 2009 às 1:00 pm

    Dei gargalhadas na cena do ringue, ri bastante com toda a parte que envolve o bebe negro e o momento em que diversas pessoas assistem ao piloto do programa de tv dele. Há, e isso é inegável, cenas embaraçosas e nada digeríveis. Caso claro do encontro dele com Ron Paull. Mas considero-o mais engraçado do que Borat. Em suma, divirjo da visão de vocês, já que tive uma experiência bem satisfatória com a obra.

    Tiago Superoito respondido:
    agosto 14, 2009 às 2:29 pm

    Minhas duas risadas: 1. a cena em que ele comenta com a modelo o quão difícil e complicado é andar na passarela e 2. logo que entrou aquela dance music farofa junto com o logo da universal pictures.

    João disse:
    agosto 15, 2009 às 5:17 pm

    Vocês são muito chatos.
    Ser ranzinza nem é tão ruim, mas orgulhar-se disso já é demais, hein…

    rafagoom disse:
    agosto 20, 2009 às 11:20 am

    João, não é ser chato. O filme é ruim por ser perdido. Fica entre a ficção e a realidade. A comédia para chocar e a comédia descompromissada. Não toma nenhum dos lados.
    Não assisti Borat, só li a respeito e fiquei bastante interessado (tá na lista do netmovies). Brüno pelo visto vale pelo trabalho do Cohen, que se dedicou pelo personagem.
    Agora fica a dúvida Tiago, Cohen se dedicou tanto pelo personagem porque sabia que o filme não era lá essas coisas, ou ele se dedicou por acreditar no filme?

    Tiago Superoito respondido:
    agosto 20, 2009 às 1:06 pm

    Acho que ele deve ter acreditado no filme sim, Rafael. Mas também teve que lidar com as pressões de reprisar o sucesso do Borat. Pra mim, os maiores problemas do filme estão aí.

    Ruthyhellen disse:
    maio 17, 2010 às 11:09 pm

    eu gosto de piadas que ñ com as palavras e sou linda demais gostosa !!!!!!!ahhhh !!!!!!!!!! beijos…..????????????!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!?????????????????????????????!!!!!!!!!!!!!!?/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s