2 ou 3 parágrafos | Transformers 2

Postado em

transf

Faça o seguinte: leia o post que escrevi há três dias (sei que é longo e enfadonho, mas você entende que não há vitória sem sacrifício, entende?), e substitua O exterminador do futuro: a salvação por Transformers 2: a vingança dos derrotados (4/10). Sei que é preguiça e isto é uma vergonha. Sei também que você não deu a menor bola para o maldito post. Mas ando trabalhando feito um cão, os tempos são difíceis, tenho um monte de obrigações domésticas e, no fim das contas, não vai mesmo fazer muita diferença.

Mas, antes, deixe-me completar este parágrafo que (não faria tanta) falta. Transformers 2 é até bem honesto naquilo que vende ao público: uma superprodução em estado bruto, assumidamente idiota e inflada (2h30!), que pode ser interpretada como um documentário psicodélico sobre um cineasta obcecado pela ideia de explodir o mundo em zilhões de pixels. Michael Bay continua mais fascinado pelos robôs que pelos humanos, mas pelo menos admite a preferência sem culpas (o filme é narrado por uma máquina, vejam aí). Os fãs do original vão pirar. Já eu continuo achando tudo isso meio doentio.

Anúncios

14 comentários em “2 ou 3 parágrafos | Transformers 2

    melanef disse:
    junho 24, 2009 às 1:36 pm

    Ei, Superoito, leia a minha matéria para o Guia da Folha =D
    http://guia.folha.com.br/cinema/ult10044u584600.shtml

    Saiba antes, porém, que não sou tão rico culturamente como você, nem nenhum especialista, por isso, achei sim, o filme bem razoável, daria 8/10 para aqueles que gostam de cinema “easy watching” (uma referência ao termo “easy listenning” para música).

    Quem gosta de cinema fraco, quem gosta de produções hollywoodianas vai pirar. Não é o meu caso, em parte, já que eu gostaria que houvessem grandes filmes sempre como Gran Torino, Menina de Ouro e outros, mas acabo me contentando com as porcarias que saem e que distraem a minha mente da minha vida já problemática.

    Obrigado, até mais =D

    Tiago Superoito respondido:
    junho 24, 2009 às 1:47 pm

    Ei, não sou tão rico culturalmente! Mas, de qualquer forma, não achei tão “easy” assistir ao filme. A partir da segunda hora, foi uma tortura. Ainda assim, tenho certeza de que será um grande sucesso. Vi numa sessão lotada e parece que quase todo mundo se divertiu.

    A crítica do Kleber Mendonça Filho está bem interessante. Já que a ideia é trocar links, veja aí: http://cinemascopiocannes.blogspot.com/2009/06/transformers-2.html

    Cinco Gran Torinos por ano e eu seria o homem mais feliz do mundo, haha. Valeu pelo comentário, abraço!

    Felipe Queiroz disse:
    junho 24, 2009 às 4:16 pm

    Vou tentar passar o mais longe possível desse filme.

    Já que a ideia é trocar link (#2), Pablo Villaça fez uma crítica bastante engraçada: http://www.cinemaemcena.com.br/Ficha_filme.aspx?id_critica=7467&id_filme=6679&aba=critica

    Tiago Superoito respondido:
    junho 24, 2009 às 4:50 pm

    Roger Ebert surtando: http://rogerebert.suntimes.com/apps/pbcs.dll/article?AID=/20090623/REVIEWS/906239997

    E ok, acho que podemos parar com a troca de links.

    musachi disse:
    junho 25, 2009 às 3:22 am

    tenho 30 anos, e assisti na década de oitenta aos desenhos, e tinha um boneco do bumblebee( um fusca )

    o filme é um blockbuster, é pra agradar a molecada na temporada de verao americano e euroupeu.
    MAS, fascina pessoas como eu ao redor do globo, que tiveram um infancia diferente da garotada da decada de 90 e inicio do seculo. Naquela epoca, ver um fusca virando robô e descendo o pau nos avioes era fantastico e os desenhos pareciam ter feito no paint do windows, e mesmo assim, encantaram gerações.

    o filme é fiel ao TEMA…….. robôs se quebrando na porrada. se isso ja era sucesso em 1984, imagine atualmente, com a capacidade grafica que temos.
    ou seja, o cara TEM que dar mais enfase aos robos do que aos humanos. e os propios robos defendem a humanidade da parte maligna da propia raça.

    um filme nao precisa ser acadêmico pra ser um filme.
    a qualidade de um filme pode ser medida tecnicamente, mas em sua essencia é tao bem assemelhada quanto a olhar uma obra escultural ou um quadro abstrato.
    ou vc gosta ou vc nao gosta, entendendo ou nao a mensagem do autor. uns fazem por arte outros por dinheiros e alguns sortudos conseguem os dois.

    steven spilber e michael bay conseguiram alem disso, transformar(gostei desse termo) e resgatar minhas lembranças da infancia, em visualizaçoes “reais” em um ambiente atual e de quebra, vão arrastar milhoes de pessoas ao redor do mundo para ve-lo.

    é um filme “roliudiano”? 100%
    vai ganhar oscar ? nao
    entao é um filme ruim? nao, é muito bom.

    e muitos vão torcer o nariz por nao aceitar um filme tipicamente porrada, ser tao entusiasmante.

    abraço!

    Tiago Superoito respondido:
    junho 25, 2009 às 10:25 am

    Musachi, seu comentário ficou maior que meu post. Obrigado.

    Mas enfim, quando eu dizia que os fãs do filme original iam adorar, eu não estava sendo irônico. E vai ser um sucesso, sim. Mas aposto também que uma parte da plateia vai cair em tédio profundo. Talvez o filme consiga dialogar com uma geração mais nova… Mas não sei. Fico um pouco incomodado com isso. Espero que essa geração mais nova se interesse por algo além desses excessos visuais (e agora estou parecendo um velho, mas ok, é o jeito).

    Ah, eu também tinha desses brinquedos quando eu era criança. O meu carrinho parecia um Passat, acho que azul-marinho.

    Diego disse:
    junho 26, 2009 às 3:09 pm

    Foi a pior coisa que vi no cinema este ano, e gosto do original. E a obsessão do Michael Bay por testículos, alguém explica?

    Tiagão, tô no aguardo do seu texto sobre Michael Jackson.

    Tiago Superoito respondido:
    junho 26, 2009 às 3:11 pm

    Vai ficar aguardando, Diego… Ontem fiquei até de madrugada fechando uma edição especial do jornal sobre o assunto e hoje vamos preparar outro caderno. Ou seja: sem tempo.

    Mas continuo achando que a história dele daria um filme excelente do Paul Thomas Anderson.

    Samuel disse:
    junho 26, 2009 às 6:50 pm

    Só se for protagonizado pela Cate Blanchett!

    Fred disse:
    junho 26, 2009 às 7:11 pm

    Filme ruim do caralho.
    A mulher, porém, é foda.
    Perceba que enquanto o cara fica todo fodido, ela nem se abala. Tá sexy e igualzinha ao começo do filme.

    Ed disse:
    junho 26, 2009 às 7:53 pm

    Eu queria Mickey Rourke na fase branca!

    Henrique disse:
    junho 26, 2009 às 8:19 pm

    Qual a sua opinião sobre o diploma para jornalistas?

    Sou curioso sobre suas opiniões. =D

    Tiago Superoito respondido:
    junho 27, 2009 às 9:59 pm

    Henrique, não acho que seja necessário ter diploma para trabalhar como jornalista. E repare: na prática, essa obrigação já havia caído faz tempo. Um exemplo bobo é aquele quadro ‘Repórter por um dia’, do Fantástico. Ou a quantidade de sociólogos/advogados/cientistas políticos que escrevem regularmente em jornais.

    Deviam melhorar a qualidade dos cursos, mas aí é outra história…

    Lara rodrigues ribeiro disse:
    janeiro 8, 2010 às 5:24 pm

    Eu assisti esse filme,e ele foi incrivil ele é muito bom!!!!
    Eu assistiria denovo!!!!rsrsrsrs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s