Aluga-se

Postado em Atualizado em

Quer uma prova de que nada é perfeito nesta vida? Tente procurar apartamento para alugar.

Estou nesta luta há alguns poucos dias e já desisti de encontrar o que eu quero. Não dá. Não tem. Os arquitetos não planejaram. Deus não quis. Ou tem, mas acabou. Sei lá. 

E o que eu quero é tão simples: apartamento de um quarto, não tão caro (até R$ 800, estourando), na Asa Norte ou no Lago Norte, com um quarto suficientemente espaçoso para abrigar a minha cama. Só isso. Descobri que é extremamente complicado encontrar “só isso”.

É pedir demais? No primeiro que visitei, o quarto era tão pequeno que comportava um aparelho de tevê e três sapatos. No segundo, o quarto era mais amplo, mas a cozinha e a sala formavam um cômodo só (tudo indica que paredes estão fora de moda). No terceiro, a cozinha era separada da sala – mas o apê ficava no primeiro andar, logo acima de uma academia de ginástica (e a coisa está tão árdua que provavelmente ficarei com esse aí mesmo). 

Quem procura apartamentos de um quarto em Brasília descobre que todos eles estão divididos em quatro faixas de preço: os de R$ 700 (que são minúsculos), os de R$ 800 (os minúsculos da Asa Norte), os de R$ 900 (que vêm com armários na cozinha) e os de R$ 1 mil (que não são para o nosso bico). 

Estou tentando me contentar com a idéia de morar num de R$ 700. Um cafofo daqueles que a gente fica com vergonha de mostrar para a própria mãe. Mas com vaga na garagem. Se bem que isso nem importa. Se somarmos o valor aluguel com a taxa de condomínio, as contas de luz e água, alimentação e gastos do dia-a-dia, devo investir mais da metade do meu salário nessa brincadeira. Por isso, nada de restaurantes caros e visitas a megastores. Nada de extrapolar nas passagens aéreas ou de ingressos para shows internacionais.

A partir de agora sou o homem dos eventos com entrada franca e das mostras de cinema no CCBB. Existe um preço que se paga para abandonar a condição de filhinho da mamãe, e não é barato.

Juro que quero ser otimista diante da situação. Mas suspeito que, na minha próxima visita, o apartamento de R$ 700 se revelará um bunker inabitável. Saudades das partidas de Banco imobiliário: “Quero a Rua Augusta. Inteirinha”. Não é fácil.

Anúncios

5 comentários em “Aluga-se

    guilherme alves disse:
    novembro 2, 2008 às 4:04 pm

    “god bless the child that’s got his own”, billie holiday escreveu so pra voce.

    pensa que pelo menos voce nao ta procurando por um apto na asa sul, que pelo menos na minha temporada por ai mantinha o status de leblon de brasilia (preços ajustados de acordo).

    voce ja deve saber, mas antecipo, tem murnau no ccbb dai em poucas semanas. as copias sao em 16mm, e, assim, torturantes, esp. sem o muito bem-vindo acompanhamento musical (experimente ver noseratu numa sala com gente pigarreando e fazendo os mais incriveis barulhos da-poltrona-preta-de-playtime).

    a copia de aurora, no entanto, é maravilhosa, e, honestamente, a unica sessao de cinema imperdivel que voce tera ate o fim do ano.

    rafaéu disse:
    novembro 3, 2008 às 1:00 am

    Ui, um certo choque de realidade para mim, 18 anos, que quer prestar UNB no começo de 2009. Tinha esquecido do custo de vida de Brasília.

    Diego disse:
    novembro 3, 2008 às 1:03 am

    Bem vindo ao meu mundo.

    Em SP, procurando por apartamentos de um quarto, sempre fiz questão de ao menos um canto pra máquina de lavar, e a maioria só oferecia algo assim dentro dos banheiros.

    Acabei fechando com um que tem uma área de serviço – é tão raro que tinha até lista de espera no prédio. No quarto cabem apenas a cama, guarda-roupas e rack com TV. Na salinha, mesa do computador, duas estantes e um sofá, espremido.

    O banheiro, ao menos, é espaçoso. A cozinha é ok: cabe fogão, geladeira e um balcão.

    A ironia da coisa toda é que, como vou gastar mais morando sozinho, não devo comprar máquina de lavar tão cedo.

    (ah, a recomendação dos economistas – vi isso num Jornal Hoje da vida – é gastar até um terço do salário com aluguel, no máximo. Tô no limite. Estava fazendo as contas hoje e, puts, adeus saídas semanais)

    Tiago respondido:
    novembro 3, 2008 às 11:00 am

    Pois é, Rafaéu, custo de vida cada vez mais alto.

    Acho que você deu sorte, Diego. Por enquanto não encontrei nenhum com área de serviço.

    Michel Simões disse:
    novembro 7, 2008 às 3:42 pm

    Tarefa impossível encontrar o apto como pensamos (e nem falo daqueles sonhos, a gente pensa em algo crível e percebe q na verdade não é).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s